Bocados e mordidas de vulcão - World, USA (Havaí) ...

Novas adições estarão sempre no topo e se a página ficar muito longa, vamos cortar parte dela e arquivá-la. Este url será sempre o único a seguir.
Deixe esta página aberta em uma aba do navegador Como vai Atualize automaticamente cada 30 minutos
Este relatório é compilado a partir de muitas fontes de informação e é trazido a você pelo vulcanólogo Philippa (Demonte). Armand (Vervaeck) está apoiando-a, pois Philippa às vezes está ocupada profissionalmente para publicar atualizações.


-

Relatório semanal de atividade vulcânica: 16 - 22 May, 2018 (Armand)
Via Smithsonian Institution - Programa Global de Vulcanismo / Programa de Perigos Vulcanos do Serviço Geológico dos EUA

Kilauea | Ilhas do Havaí (EUA)
On 16 May HVO reported ongoing deflation at Kilauea’s summit, where the lava lake continued to recede in the Overlook Crater; by the afternoon the caldera floor had dropped a total of almost 1 m since the onset of the lake drainage. The drop of the floor stressed faults around the caldera causing earthquakes as strong at M 4.4. HVO and National Park staff reported frequent ground shaking, and damage to roads and buildings. Phreatic explosions had ejected blocks up to 60 cm in diameter that were found in the parking lot a few hundred meters from Halema’uma’u Crater. Ash plume heights varied, but generally rose no higher than 1.2 km and drifted N. Lava continued to erupt from multiple vents at the NE end of the active fissure system at the Lower East Rift Zone (LERZ). Lava from fissure 17 advanced about 90 m. Weak spattering arose from fissure 18, and fissure 20 was again active.
At about 0415 on 17 May an explosive event (or a series of explosions) at Overlook Crater generated an ash plume that, according to the Washington VAAC, rose as high as 9.1 km (30,000 ft) a.s.l. and drifted NE. Ash fell in areas downwind, including in the Volcano Golf Course and Volcano Village. Subsequent gas, steam, and ash emissions rose to 3.7 km (12,000 ft) a.s.l. and drifted SW. Fissure 17 actively spattered, though its lava flow had nearly stalled. Fissures 18, 19, and 20 reactivated, and a new fissure (21) opened between fissures 7 and 3. A 50-100-m-wide depression with cracks formed parallel to the fissures between Highway 130 and Lanipuna Gardens, into which pahoehoe lava flowed from fissures 20 and 21. Fissure 22 opened just downrift of fissure 19.
On 18 May a robust gas-and-steam plume rose from Overlook Crater, punctuated by several minor ash emissions. At 2358 a short-lived explosion generated an ash plume that rose up to 3 km (10,000 ft) a.s.l. and drifted SW. Spattering continued from fissures 15, 17, 18, 20, 21, and 22, with pahoehoe lava flows being erupted from fissures 17, 18, and 20. Large fountains at fissure 17 ejected bits of spatter 100 m high. Lava flows from fissure 18 traveled almost 1 km SE, and a flow from fissure 15 crossed Pohoiki Road. A fast-moving lava flow (275-365 m per hour) emerged from fissure 20 and traveled SE, across Pohoiki Road. Gas emissions remained elevated in areas downwind of the fissure system; air quality was poor from gas emissions as well as smoke from burning vegetation. Earthquake locations had not moved farther downrift in the previous few days.
Small ash emissions from Overlook Crater occurred intermittently on 19 May. The eruption of lava and ground cracking in the area of Leilani Estates subdivision continued. Fissure 17 was weakly active after fountaining earlier in the day. Fissures 16-20 merged into a continuous line of spatter and fountaining; flows from this fissure 20 complex flowed 275 m/hour S. Two of the flows joined less than a 1.6 km from the ocean and continued to flow S between Pohoiki and Opihikao roads.
During 19-20 May there were two explosive eruptions from Overlook Crater, and several smaller ash emissions. Lava flows reached the ocean overnight (late on 19 May) along the SE Puna coast. On 20 May spatter was ejected from fissures 6 and 17, and fissure 20 produced significant lava flows. A ground crack opened under the E lava channel diverting lava into underground voids. Gas emissions tripled as a result of the voluminous eruptions from fissure 20. Photos take in the afternoon showed two ocean entries along approximately 1 km of coastline.
A small explosion at Overlook Crater at 0055 on 21 May produced an ash plume that rose around 2.1 km (7,000 ft) a.s.l. and drifted SW. Several smaller emissions throughout the day ejected abundant ash. Robust steam-and-gas plumes also rose from the crater. Lava fountains from fissure 22 fed a channelized lava flow that entered the ocean N of MacKenzie State Park. Spattering occurred at fissures 6, 17, and 19. Small ash emissions from Overlook Crater continued on 22 May. Lava continued to enter the ocean, though by the afternoon only one entry was active. Most of the LERZ activity shifted to the middle part of the fissure system. The Aviation Color Code remained at Red and the Volcano Alert Level remained at Warning.

Langila | Nova Bretanha (Papua Nova Guiné)
Based on analyses of satellite imagery and model data, the Darwin VAAC reported that during 17-18 and 21-22 May ash plumes from Langila rose to altitudes of 2.1-2.4 km (7,000-8,000 ft) a.s.l. and drifted WSW, W, and WNW.

Merapi | Central Java (Indonésia)
PVMBG reported that a phreatic eruption at Merapi began at 0125 on 21 May and lasted for 19 minutes, generating an ash plume that rose 700 m above the crater and drifted W. A six-minute-long phreatic eruption began at 0938 and produced an ash plume that rose 1.2 km above the crater. Ashfall from both events was reported in areas 15 km downwind. A third event, detected at 1750, lasted three minutes and produced a plume of unknown height. After the events one volcano-tectonic earthquake and one tremor event were recorded. The seismicity along with increased phreatic events prompted PVMBG to raise the Alert Level to 2 (on a scale of 1-4).

Piton de la Fournaise | Ilha Reunião (França)
OVPF reported that the eruption at Piton de la Fournaise which began on 27 April from fissures at Rivals Crater continued through 22 May. Flowing lava was mostly confined to tubes, though spatter was ejected 20-30 m above the highest-elevation (and most active) vent of the three. Lava was weakly ejected from the lowest-elevation vent. CO2 concentrations at the summit were high. Inflation continued to be detected. Tremor levels had increased around 15 May but then began to steadily decrease on 18 May. Observers noted a significant decrease in activity on 19 May at the highest-elevation vent, and by 22 May was quiet; the main cone continued to spatter.

Drone video of the April 28, fissure eruption

Pode 24, 2018


Kilauea, Ilha Grande, Havaí, EUA (Philippa)
Hawaii County Civil Defense Alerts: http://www.hawaiicounty.gov/active-alerts
HVO dashboard for Kilauea: https://volcanoes.usgs.gov/observatories/hvo/activity_2018.html
Frequently asked questions - Health & safety:
https://www.facebook.com/notes/usgs-volcanoes/k%C4%ABlauea-eruption-faqs-health-and-safety/2028377117190839/
Frequently asked questions - Hawaiian volcanoes & hazards: https://volcanoes.usgs.gov/observatories/hvo/faqs.html
Serviços do Parque Nacional do Havaí: https://www.nps.gov/havo/index.htm
Vog forecast: http://mkwc.ifa.hawaii.edu/vmap/hysplit/
Information about vog: https://vog.ivhhn.org/
Honolulu Civil Beat (live webstream): https://www.youtube.com/watch?v=009L4FAxwG4&feature=youtu.be

Over the past 24 hours there have been lots of additions to the U.S. Geological Survey (USGS) / Hawaiian Volcano Observatory (HVO) website and USGS Volcanoes Facebook page, including the HVO dashboard for Kilauea, which has an overview of ALL the useful weblinks, frequently asked questions about Hawaiian volcanoes and hazards, and frequently asked questions about health and safety (see links above).

Below is the latest video report from HVO with volcanologist Wendy Stovall:

In the Lower East Rift Zone (ERZ) a new fissure (crack in the ground erupting lava) - #24 - has been confirmed between Kaupili and Mohala Streets, i.e. near Fissure #23. Lava spattering continues from fissures #5, 6, and 19, and weak spattering at fissure #17. Lava spattering and flows from fissure #22 are still entering the ocean just north of MacKenzie State Park, but shifted now slightly more to the west. HVO and Hawaii Counties Civil Defense warn NOT to venture near to this ocean entry, neither by boat not by land, as in addition to the laze (hydrochloric acid vapor produced by the chemical reaction between hot lava and cold, salty sea water), other hazards include littoral explosions of ballistics (flying rocks) and lava bench collapses.

At the summit area there were multiple small eruptions of ash that have occurred in the past 24 hours. In each case the ash was ejected to altitudes of less than 10,000 ft. / 3 km above sea level. The areas of Pahala and Volcano village, i.e. in the vicinity of the summit area of Kilauea, are those which are currently worst affected by light ash fall. The HVO / USGS Volcanoes websites above provide advice, and also an opportunity for some citizen science to collect ash samples, which can then be analysed both for the chemical content and the ash shape to provide the monitoring scientists with further information about the eruption dynamics below surface within the Overlook Crater within Halema'uma'u Crater.

Pode 23, 2018


Kilauea, Ilha Grande, Havaí, EUA (Armand)

Kīlauea Eruption FAQs: General Questions 
We’ve received many questions about the ongoing eruption at the East Rift Zone and summit of Kīlauea Volcano in Hawai’i. The Hawaiian Volcano Observatory (HVO) has put together a collection of the most frequently asked questions for you to check as the eruption continues. The most recent status updates are always posted at https://volcanoes.usgs.gov/volcanoes/kilauea/status.html

*NOTE: These FAQs will be updated as the eruption progresses.
To read more about the history of Kīlauea Volcano and its eruptions, visit its HVO page https://volcanoes.usgs.gov/volcanoes/kilauea/ or peruse this publication about eruptions of Hawaiian volcanoes: https://pubs.usgs.gov/gip/117/. General HVO FAQs may be found at https://volcanoes.usgs.gov/observatories/hvo/faqs.html
Where can I find information about the ongoing eruption?
Did we know that this eruption was going to happen?
HVO issued Volcano Activity Notices on April 17 and May 1 about the possibility of an East Rift Zone eruption. One of the ways that scientists can determine if an eruption is likely is to watch the seismic activity at a volcano. Magma must break rock in order to move through the earth’s crust, or take advantage of existing cracks. The breaking or shifting rock creates earthquakes that can be tracked in time and space, and HVO scientists were able to track magma movement via earthquakes. https://www.youtube.com/watch?v=TAGzGQI0cvA&feature=youtu.be
Is this the beginning of a new eruptive episode?
The LERZ eruption is Episode 62 in the ongoing Kilauea East Rift Zone eruption, which began in 1983.
What’s going on with magma in Kilauea’s plumbing system right now?
Magma drained from the summit lava lake and the storage reservoir beneath the surface, and it is flowing underground within the East Rift Zone towards the eruption site in Leilani Estates. This is not the first time such a pattern has been observed. During the 1955 and 1960 eruptions, which also occurred in Puna, significant summit deflation was associated with the eruptions, indicating that magma was draining from the summit magma chambers to feed the lower East Rift Zone eruptions. In fact, em 1960, sampling of lava over time revealed that the composition of the lava changed to reflect summit magma after 13 days of eruption - it took that long for magma to travel through the East Rift Zone from the summit to the Puna eruption site!
The closest analogy to the current situation is 1924, when there was also a lava lake at the summit. Magma intruded beneath Puna but did not erupt (even though massive ground cracking occurred), and the summit lava lake drained as magma flowed from the summit to feed the intrusion. Kilauea's magma plumbing system is hydraulically connected, just like the plumbing in a house, so what happens in one part of the system affects all other parts of the system.
Is it safe to visit the island?
Yes. Hawai’i Volcanoes National Park is closed until further notice and areas of the East Rift Zone are closed to all except residents and emergency responders, but it is safe to visit the rest of the island. But, please do not attempt any lava viewing. The eruption is still extremely dynamic and dangerous, and responders need to focus on protecting residents and not dealing with sightseers.
Is Mauna Loa going to erupt? Could this eruption trigger a Mauna Loa eruption?
There is some indication that the Mauna Loa and Kilauea plumbing systems respond to each other's activity, but it tends to be an inverse effect (when one is particularly active, the other is quiet). Mauna Loa is currently experiencing normal levels of earthquake activity and is being closely monitored in case anything unusual does happen.
What’s the risk of a large landslide from the south flank?
There have been large collapses of Hawaiian volcanoes in the past (see the article at https://volcanoes.usgs.gov/observatories/hvo/hvo_volcano_watch.html?vwid=212 for more information). But a collapse now is very unlikely. The south flank has been moving towards the sea for thousands of years, and there is a history of large earthquakes on the south flank -- much larger than Friday's event (there was a M7.7 in 1975, and a ~M8 in 1868). There is also steady motion of the south flank towards the sea at rates of 6-8 cm/yr happening all the time. The "lurch" of the M6.9 earthquake was prompted by pressure in the east rift zone due to the magma intrusion. And we have seen strong earthquakes (usually M5) after similar, albeit, smaller intrusions in the recent past (like in 2007 and 2011).
Why do people live/build in lava flow hazard zones in Hawaii?
Kilauea volcano (including the East Rift Zone) is 90% covered with young flows (see https://volcanoes.usgs.gov/volcanoes/kilauea/geo_hist_summary.html), and many of these areas have been occupied for a long time. We can do little to reduce or eliminate the volcanic hazards that have always existed on the Big Island, but we can greatly reduce the risks to life and property posed by these hazards. Our best tools for reducing risk are proper land-use planning, which limits development in high hazard areas, and education, which gives people a rational basis for deciding where to build a home, develop commercial property, or locate a public facility.
Can we build walls to divert the lava?
Lava flow diversion is a complex legal, political, economic, technical, and cultural issue that must be decided by local and/or state government officials. Lava diversion is only feasible when the terrain is favorable, where there are lesser-value lands downslope toward which flows can be directed, and when sufficient time is available to carefully plan and carry out the operations.
Attempts have been made to divert Hawaiian lava flows in the past. Lava diversion has been attempted several times in Hawaii (bombing operations of 1935 and 1942; barrier construction in 1955 and 1960), but none of these attempts were well-planned, and all failed. Some local efforts were made to create bulldozed berms to divert lava flows away from the town of Pahoa in 2014, but the flows stagnated before they reached the barriers. To learn more about the history of lava flow diversion in Hawai`i, check out this article: https://volcanoes.usgs.gov/observatories/hvo/hvo_volcano_watch.html?vwid=587
Why is there no streaming video of the eruption?
Hawai’i does not have the same internet capabilities as the mainland. Bandwidth is often limited, and HVO must give preference to monitoring instruments before cameras. Additionally, conditions at the summit and in the Rift Zone are both dynamic and dangerous, and it is not always safe for our scientists to establish stationary observation posts. The safety of residents and our scientists depends on those monitoring instruments and is our first priority.
You can see static-image webcam feeds on this page: https://volcanoes.usgs.gov/volcanoes/kilauea/multimedia_webcams.html and follow local reporting for streaming videos (https://www.facebook.com/civilbeat).
How can I volunteer to help the USGS?
Right now, USGS scientists are extremely busy and cannot accept new volunteers. At calmer times, you can apply to volunteer at https://volcanoes.usgs.gov/observatories/hvo/hvo_volunteer.html

Fissure and Flow map
Here is the fissure and flow map, as of May 21, at 8:00 AM HST. The red shaded areas show lava flows and sites of active ocean entry.
Maps are available on the USGS–Hawaiian Volcano Observatory webpage at
https://volcanoes.usgs.gov/vol…/kilauea/multimedia_maps.html

 

Satellite radar shows enlargement of Halemaʻumaʻu eruptive vent
This animated GIF shows a sequence of radar amplitude images that were acquired by the Agência Espacial Italiana #CosmoSkyMed satellite system. The series shows changes to the caldera area of #Kīlauea#Vulcão that occurred over May 5 at 6:12 a.m. HST, May 17 at 6:12 a.m. HST, and May 21 at 6:12 a.m. HST. The #satélite transmits a #radar signal at the surface and measures the strength of the reflection, with bright areas indicating a strong reflection and dark areas a weak reflection. Strong reflections indicate rough surfaces or slopes that point back at the radar, while weak reflections come from smooth surfaces or slopes angled away from the radar.
The May 5 image was acquired before any small explosions occurred from the summit. The May 17 and 21 images show changes to the summit area after the onset of small explosions and ash emission. Major changes over time include: (1) a darkening of the terrain south of Halemaʻumaʻu crater, which reflects accumulation of ash; (2) enlargement of the summit eruptive vent on the floor of Halemaʻumaʻu crater; and (3) the development of a small disrupted area on the east rim of Halemaʻumaʻu that may reflect slumping of a portion of the rim towards the growing collapse pit on the crater floor.

 

Kilauea, Ilha Grande, Havaí, EUA (Philippa)
Alerta da Defesa Civil do Condado de Havaí: http://www.hawaiicounty.gov/active-alerts
Atualização diária do Observatório do Vulcão do Havaí: https://volcanoes.usgs.gov/volcanoes/kilauea/status.html
Serviços do Parque Nacional do Havaí: https://www.nps.gov/havo/index.htm

Vog forecast: http://mkwc.ifa.hawaii.edu/vmap/hysplit/
Information about vog: https://vog.ivhhn.org/
Honolulu Civil Beat (live webstream): https://www.youtube.com/watch?v=009L4FAxwG4&feature=youtu.be

See the link below for the latest video update (21st May) from the U.S. Geological Survey (USGS) / Hawaiian Volcano Observatory (HVO) on the on-going eruptive activity both at the summit of Kilauea volcano and down the East Rift Zone (ERZ) in the Lower Puna area, southeastern Big Island.

via UGSS Volcanoes (@USGSVolcanoes)

At the Lower East Rift Zone, as per yesterday's update, Fissure 22 (crack in the ground erupting lava spatter and flows) is feeding channels of lava flows that have merged and then split again, forming two ocean entries just north of MacKenzie State Park. As previously explained, the chemical reaction between the hot lava and the cool, salty ocean water is creating laze, which is hydrochloric acid vapor. As impressive as it looks, you really do not want to be anywhere near this, as it stings the eyes and nose worse than wasabi, mustard, and chopped onions combined, and can damage the respiratory system. The Coast Guard service continue to restrict boat access to this area at this time.

Volcanic gas emissions, in particular sulfur dioxide (SO2) also remain high in this area of Big Island, causing another phenomenon known as vog. This looks similar to fog, but is caused by the lack of dissipation of the volcanic gases in the air. and can produce acid rain-like conditions.

Field crews from HVO continue to work tirelessly in this area taking samples of lava spatter for lab analysis, mapping the extent of the lava flows as they develop, and making visual observations. They are working closely with the authorities. Local communities are asked by Hawaii County Civil Defense to remain vigilant in case rapid evacuation of areas are required.

Incidentally, there was an interesting and well-articulated post on social media earlier today from a local resident reminding other residents, including those who have lost their homes, of the Hawaiian perspective: that what some see as destruction from the fissure eruptions, the Hawaiians perceive as creation by (the goddess of fire) Pele as she continues to build her 'aina' (home) around Kilauea. The social media poster also reminded residents that the volcanic hazards should not come as a surprise - they are mentioned in people's mortgage contracts - that people should help each other out as a community, and to heed warnings from those monitoring the situation in order to stay safe.

 

Pode 22, 2018


Kilauea, Ilha Grande, Havaí, EUA (Armand)
Fontes de lava estão descendo o rio e agora alcançaram o oceano com vapor intenso
Vídeo cedido por Mick Kalber e Paradise Helicopters

Maio 20, 2018 Lava Entra no Oceano a partir de Mick Kalber on Vimeo.

Kilauea, Ilha Grande, Havaí, EUA (Philippa)
Alerta da Defesa Civil do Condado de Havaí: http://www.hawaiicounty.gov/active-alerts
Atualização diária do Observatório do Vulcão do Havaí: https://volcanoes.usgs.gov/volcanoes/kilauea/status.html
Serviços do Parque Nacional do Havaí: https://www.nps.gov/havo/index.htm

Os residentes locais na área de Lower Puna, em Big Island, no Havaí, estão sendo solicitados a evacuar imediatamente quando solicitados a fazê-lo. A última ordem de evacuação foi dada aos moradores da Kamaili Road devido a incêndios florestais. A Highway 137 está fechada entre Kamaili e Pohoiki Roads. As rodovias 132 e 130 estão abertas apenas para residentes (a identificação deve ser mostrada) e durante o dia apenas para verificar as propriedades. Haverá uma reunião da comunidade para os residentes locais amanhã (terça-feira, 11 de maio) para mais perguntas e atualizações. (fonte: alertas da Defesa Civil do Condado de Havaí)

Neste momento, estamos aguardando a última atualização oficial e vídeo blog do US Geological Survey (USGS) / Hawaiian Volcano Observatory (HVO) para o 20th May 2018. No entanto, as notícias a seguir (abaixo) foram reunidas a partir dos feeds de mídia social oficiais dos Vulcões USGS e da Defesa Civil do Condado de Havaí das últimas 24 horas.

Muitos desenvolvimentos no Lower East Rift Zone (ERZ), em particular no que diz respeito à Fissure #20.

Múltiplos fluxos de lava dessa fissura particular (rachadura no solo) agora se fundiram, fluíram ainda mais, e depois se dividiram para produzir duas entradas oceânicas de lava.

via USGS Volcanoes (@USGSVolcanes)

Isso está criando um perigo vulcânico secundário, conhecido como laze, ou seja, vapor de ácido clorídrico, que é realmente desagradável se inalado; na pior das hipóteses, pode causar danos permanentes ao sistema respiratório e, no mínimo, pode causar irritação nos olhos e no nariz. O Laze é produzido devido à reação química da mistura de lava quente com água do mar fria e salgada. Por razões de segurança, os serviços da Guarda Costeira estão limitando o acesso do oceano para o público a esta área de Big Island neste momento.

Assim como o laze, níveis mais altos do que os anteriores (x3) de dióxido de enxofre (SO2) estão sendo emitidos devido ao aumento dos volumes de lava atualmente em erupção do Kilauea.

Como Simon Carn (Professora de Geologia, Michigan Tech) continua explicando, embora estes sejam altos níveis de dióxido de enxofre para Big Island, estas não são emissões grandes o suficiente para a mudança climática global, também por causa da baixa altitude.

Uma das maiores preocupações tanto para o HVO, que está monitorando a atividade eruptiva em diferentes locais no vulcão Kilauea, quanto em outros socorristas é que os moradores locais podem ficar presos devido aos fluxos de lava das fissuras que atravessam as estradas. , cortando rotas de acesso / evacuação e fluxos de lava causando incêndios florestais ao engolir árvores e outras vegetações. Carolyn Parcheta, que era gerente de plantão na HVO ontem, explica neste relatório da BBC News, que foi filmado na última coletiva de imprensa.

via BBC News (Mundo) (@BBCWorld)

NOTA: Existem alguns erros neste relatório. O vulcão Kilauea tem estado em erupção constantemente nos últimos anos 35, mas em diferentes locais ao redor do vulcão e diferentes estilos eruptivos. O que o relatório refere especificamente é as erupções de fissura na área de Puna Inferior desde o mês passado.

A BBC News também relatou que um residente local sofreu lesões nos membros inferiores depois de ser atingido por uma balística (grande parte de um respingo de lava). Eles estavam sentados na varanda, observando a lava que vinha de uma das fissuras.

Além da fusão de correntes de lava da Fissure #20, uma rachadura também se abriu sob o canal de lava do leste, desviando lava para vazios subterrâneos.

via USGS Volcanoes (@USGSVolcanes)

Fontes de lava continuam desta fissura. Aumente o som do vídeo para ouvir e ver isso. O ruído é gerado tanto pelos gases magmáticos que rapidamente escapam da fissura, como pelos respingos de lava que caem no chão.

via USGS Volcanoes (@USGSVolcanes)

Você pode ver uma transmissão ao vivo da fonte de lava da East Rift Zone através do link abaixo:

via Honolulu Civil Beat / YouTube (captura de tela abaixo tirada 21st May 2018 no 08: 23 UST)

https://www.youtube.com/watch?v=009L4FAxwG4&feature=youtu.be

Equipes de campo da HVO continuam a fazer observações, mapear os contornos dos fluxos e fissuras de lava para atualizar o mapa de perigos vulcânicos para a Zona do Leste do Rift e coletar amostras de respingos de lava para análises químicas no laboratório. Este último confirmou que a atividade atual nessa área está sendo alimentada por um lote de magma de ressurgência, mais "fresco", que está migrando ao longo do sistema.

via USGS Volcanoes (@USGSVolcanes)

Na área do cume do Kilauea houve várias emissões de pequena escala, de curta duração, de cinzas vulcânicas em plumas robustas de vapor e gás da Cratera Overlook, agora ampliada, dentro da Cratera Halema'uma'u. Tradewinds transportaram essas emissões para o sudoeste, ou seja, principalmente sobre o deserto de Ka'u e a área de Pahala, em Big Island.

via USGS Volcanoes (@USGSVolcanes)

O Parque Nacional dos Vulcões do Havaí permanece fechado nesta área.

Monte Merapi, Java, Indonésia (Philippa)
Houve duas erupções de curta duração (~ 19 minutos e 55 minutos), erupções freáticas (vapor) no Merapi mais cedo hoje. O primeiro ocorreu em torno de 01: 25 hora local, gerando uma pluma de erupção para um 700m estimado acima da área do cume (como observado no post de Babadan, mas não tão fácil de ver no escuro). O segundo ocorreu em torno de 09: 38 hora local, e gerou uma pluma de erupção a uma altura de cerca de 1.2 km acima da área do cume.

Os ventos sopraram a segunda pluma de erupção para o oeste. Havia cinzas leves nas áreas vizinhas de Kemiren, Kaliuran e Srumbung. Esta cinza vulcânica é um incômodo, pois mesmo uma poeira tão leve como esta pode ser suficiente para entupir os motores dos carros e arranhar os pára-brisas se não for lavada adequadamente, devido à natureza abrasiva da cinza (cacos de vidro vulcânico, efetivamente). Nenhuma evacuação foi necessária, e o status de alerta do Merapi permanece em 'Normal'.

via Sutopo Purwo Nugroho (@Sutopo_PN)

Mount Agung, Bali, Indonésia (Philippa)
A imagem abaixo nos lembra que o Monte Agung no lado leste da ilha indonésia de Bali ainda está ativo. Isso foi feito no 19th May em torno de 17: 19 hora local. A coluna eruptiva, que continha cinzas vulcânicas e gases, incluindo vapor de água, atingiu uma altura de cerca de 1 km acima da área do cume, antes de se dispersar com ventos alísios no sentido sudeste.

Há uma zona de exclusão em torno do vulcão e o acesso à área da cúpula permanece fechado. Bali é outra forma segura para os turistas visitarem.

via Sutopo Purwo Nugroho (@Sutopo_PN) / MAGMA Indonésia (@id_magma)

Nevados de Chillan, Chile (Philippa)
Se algum de vocês está planejando visitar Nevados de Chillan no Chile, que nesta época do ano é uma área popular para esquiar e outras atividades ao ar livre / inverno, por favor atente aos avisos da ONEMI (Defesa Civil Chilena) para entender o mapa do perigo vulcânico. (abaixo) e para aprender sobre os planos de evacuação da comunidade deve Nevados de Chillan entrar em erupção. (Agência de monitoramento do vulcão chileno) A SERNAGEOMIN tem detectado sinais geofísicos precursores para uma possível erupção por algum tempo.

Há três perigos potenciais principais indicados por este mapa: correntes de densidade piroclástica (PDCs - avalanches de gases vulcânicos quentes, cinzas e outros pequenos detritos), lahars (fluxos de água e cinzas vulcânicas) e tephra (queda de cinzas).

via ONEMI (@onemichile) / SERNAGEOMIN (@sernageomin)

O ONEMI tem esta folha de informação genérica (em espanhol, inglês e francês) com conselhos de preparação para erupções vulcânicas: http://www.onemi.cl/erupciones-volcanicas/

Pode 21, 2018


Atualização 15: 48 UTC:Atualizar Kilauea, Hawaii
Mick Kalber:
Uma quantidade inacreditável de lava está em erupção de fissuras abaixo Leilani Estates na Grande Ilha do Havaí!
Mais de vinte rachaduras estão lançando pedras líquidas incandescentes, que estão indo morro abaixo, destruindo casas, carros, estradas ... e qualquer outra coisa em seu caminho.
As fissuras agora se juntaram formando uma "cortina de fogo" em uma exibição espetacular.
Numerosos dedos de lava se estenderam em direção ao mar durante a noite, e esta manhã estavam a cerca de um quilômetro e meio da água.
Mais de quarenta casas foram destruídas desde que a erupção começou há quinze dias. Embora tenha começado em Leilani e incendiado várias casas lá, ela logo estabeleceu suas aberturas abaixo da subdivisão com fontes imponentes, cones respingos alimentando fluxos de lava gigantescos.
Até agora, nenhuma morte foi relatada.
Socorristas evacuaram vários moradores que ficaram presos pelos fluxos em movimento rápido. A Pohoiki Road foi coberta de lava, mas as rodovias 132 e 137 ainda estão abertas até o momento.
Se ela continuar na mesma velocidade que vimos esta manhã, ela pode atravessar a "Estrada Vermelha" e fazer o oceano até hoje à noite ou amanhã. Nenhuma lava está atualmente em erupção na subdivisão Leilani Estates.
Mahalo para o pessoal gentil da Paradise Helicopters ... eles oferecem as melhores cartas nas ilhas!

Maio 19, 2018 Pele de março para o Pacífico a partir de Mick Kalber on Vimeo.

atualizar Kilauea, no Havaí
Simon Carn: Bom @NASA OMI overpass of #Kilauea em maio 19 mostrando pluma SO2. Os fluxos estimados de SO2 com base nesses dados são ~ 10-30,000 toneladas / dia, que é de até ~ 5 vezes o fluxo SO2 médio de longo prazo. Períodos de maior fluxo podem corresponder a fontes de lava mais vigorosas.

20 maio, 2018


Kilauea, Ilha Grande, Havaí, EUA (Philippa)
Veja o link (abaixo) para a última atualização de vídeo do US Geological Survey (USGS) / Hawaiian Volcano Observatory (HVO) - datado de maio 18th 2018 - com a vulcanologista Wendy Stovall.

https://www.usgs.gov/media/videos/usgs-status-update-k-lauea-volcano-may-18-2018

No vídeo Wendy explica a imagem (abaixo), que foi obtida por dados de radar de satélite, como a Cratera de Overlook ativa aumentou significativamente desde os dois eventos explosivos em grande escala em 16th e 17th May, e como houve uma queda de a parede Cratera Halema'uma'u no lado sudeste, que é o lado que a Cratera Overlook está dentro dela.

Como relatado (abaixo) nas atualizações do Earthquake-Report.com, há duas novas fissuras (rachaduras no solo) que se abriram, agora levando o total para 22 erupções fissuras de respingos de lava e flui ao longo da East Rift Zone (ERZ) na área da Puna Inferior do sudeste da Ilha Grande.

via USGS / HVO

Há ainda alguns grandes sons e emissões de lava da Fissure 17. Veja o vídeo abaixo e aumente o volume. O atraso entre a imagem e o som é porque as ondas de luz viajam a uma velocidade mais rápida do que as ondas sonoras e, quanto maior a distância entre a fissura e a câmera, maior o tempo de atraso entre a imagem e o som.

Como vulcanologista e acústico, posso explicar que o som de "boom" da Fissure 17 é causado pela liberação repentina de gases vulcânicos pressurizados na lava. A HVO confirmou agora, a partir da análise química de amostras de respingos de lava (como eu sugeri), que o que anteriormente estava em erupção da Cratera Pu'u O'o (mais acima da Zona Leste Rift) está agora em erupção na Zona Lower East Rift, e que a fonte é de lotes mais frescos de magma para cima da pluma do manto sob Big Island, o que explicaria a atividade eruptiva mais vigorosa, movida a gás.

via USGS / HVO

 

Explicação: O magma contém muitos gases diferentes, sendo os principais dióxido de carbono, vapor de água e dióxido de enxofre, e em profundidades mais rasas, próximas da superfície - cloro e flúor. Os gases exsolvem-se do magma fundido a diferentes profundidades, o que tem a ver com a relação profundidade-pressão: no solo, a pressão diminui com a diminuição da profundidade. No momento em que o magma derretido subiu para profundidades rasas logo abaixo da superfície da Terra, a maioria dos gases se exsudou e então escapou suavemente através de fissuras e pequenas rachaduras no solo ao redor do vulcão Kilauea.

Quando houve um acúmulo mais lento desse magma gentilmente desgaseificado, observamos a atividade efusiva anterior de lagos de lava e fluxos de lava. No entanto, quando os bolsos de magma mais quentes e mais quentes sobem à superfície em um ritmo mais rápido, eles têm menos tempo para liberar gás, levando a uma atividade explosiva mais pressurizada. Esse é o mesmo mecanismo observado em vulcões como Stromboli (perto da Itália) e Piton de la Fournaise. O fluxo desse magma mais quente, de baixa viscosidade (escorrendo) também é mais rápido ao longo da East Rift Zone sob Big Island, e é por isso que está viajando mais longe que a Cratera Pu'u O'o e explodindo agora como fontes de lava e fluindo de fissuras na área da Puna Inferior.

** As duas erupções explosivas no topo do Kilauea esta semana foram causadas por um mecanismo diferente, que era o nível do lago de lava caindo dentro da Cratera Overlook abaixo do nível do lençol freático no solo, trazendo a lava quente contato com água fria, causando o flash instantâneo desta água ao vapor e aumento de pressão para cima.

Mais imagens (abaixo) dos respingos de lava das fissuras no Lower East Rift Zone

via USGS / HVO / YouTube

A HVO relatou ontem que havia um fluxo de lava pahoehoe de fluxo rápido (300-400 jardas por hora ou cerca de 274-364 metros por hora) da Fissure 20 que atravessou a estrada Poihiki.

via Honolulu Civil Beat e Aloha Broadband / YouTube

A parte, de lado:
Por mais excitante que seja essa atividade eruptiva para aqueles de vocês que estão lendo isto, poupe um pensamento não apenas para os residentes locais que estão tendo que evacuar e / ou lidar com as condições, mas em particular a equipe do vulcão havaiano. Observatório, bem como equipes da Defesa Civil do Condado do Havaí, Serviços do Parque Nacional e outros que estão trabalhando no 24 / 7 para monitorar as situações em desenvolvimento e manter as pessoas seguras.

Devido aos dois eventos explosivos no início desta semana na área de cúpula do Kilauea, o HVO atualmente não é capaz de trabalhar a partir do prédio do observatório dentro do Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, que permanece fechado neste momento.

A imagem abaixo mostra a equipe trabalhando em um novo local, incluindo geofísicos, geólogos, sismólogos, equipes de campo, pessoas de operações (ou seja, aquelas que mantêm tudo funcionando, incluindo TI, equipe técnica, transporte e administração), voluntários de longo prazo e uma equipe de mídia. Tendo sido voluntário na HVO 10 anos atrás, quando o observatório teve que evacuar por último, todo o crédito, em particular, para a equipe de TI por manter todos os fluxos de monitoramento em execução neste momento crítico.

via USGS / HVO

Mount St Helens, estado de Washington, EUA (Philippa)
Ontem (maio 18th) foi o aniversário da erupção 1980 do Monte St Helens, em que um deslizamento de terra causou uma liberação repentina de pressão dentro do sistema vulcânico, produzindo uma explosão lateral (lateral) em vez de uma explosão para cima.

Este vídeo do 'Raging Planet' do Discovery Channel mostra as imagens de lapso de tempo do momento:

A história completa pode ser lida no feed do Facebook do USGS Volcanoes aqui:
https://www.facebook.com/USGSVolcanoes/posts/2032648066763744

.... e neste vídeo aqui, que apresenta vulcanologista USGS e um outro, que estão ambos agora no Observatório do Vulcão Havaiano.

A imagem abaixo foi capturada por um dos dois alpinistas que estavam no Monte. Adams, que tem vista para o Monte. Santa Helena. Eles olhavam horrorizados ao testemunharem não apenas a explosão lateral inicial, mas também as correntes de densidade piroclástica (PDCs = avalanches rápidas de gases vulcânicos quentes, cinzas e rochas que caíram de uma coluna de erupção), em que as pessoas 57 foram mortos, incluindo o vulcanologista da USGS, Dave Johnston.

A imagem (abaixo), tirada muito mais tarde no ano, mostra os fluxos de detritos de madeira (árvores), que também ocorreram. Além disso, rios próximos foram inundados. Cerca de casas 250 foram destruídas, e devido às estradas serem bloqueadas pelos materiais e detritos em erupção, perda de meios de vida, vôos que tiveram que ser desviados ou cancelados, esta erupção do Mt St Helens foi considerada a erupção mais cara dos EUA no século 20. em termos de perdas financeiras.

Manaro Voui, Ambae, Vanuatu (Philippa)
Você deve se lembrar que mencionamos anteriormente a atividade eruptiva da cratera Manaro Voui, que está forçando a evacuação permanente dos habitantes de Ambae, uma das ilhas de Vanuatu. O Departamento de Meteorologia e Geo-Riscos de Vanuatu (VMGD), que está monitorando a atividade, realizou ontem um workshop para as várias autoridades terem que lidar com a resposta. Houve apresentações, discussões e exercícios com foco na melhor maneira de resolver a situação dos habitantes além da evacuação imediata.

Como um cientista - Dr. Lucy Jones - diz: "Terremotos, a liberação de gases e a deformação da superfície da Terra podem alertar os cientistas de que uma erupção vulcânica pode ocorrer. Cidadãos preparados e uma resposta coordenada da comunidade, emergência e do governo podem impedir que uma erupção se torne uma catástrofe."

De acordo com este relatório da Radio New Zealand, os habitantes da ilha de Ambae serão transferidos para a ilha vizinha de Maewo, com esta evacuação / realocação oficial a ocorrer em etapas entre a 1 de junho a 30 de julho deste ano. Tentar encontrar um local permanente para mobilizar pessoas e encontrar financiamento para isso foi um dos maiores problemas enfrentados pelas autoridades locais em Vanuatu. Mesmo essa solução não é ideal, já que a terra em Maewo está sendo alugada, e a assistência financeira para os habitantes restabelecerem seus meios de subsistência será muito limitada.

https://www.radionz.co.nz/international/pacific-news/357157/vanuatu-volcano-refugees-to-be-moved-to-maewo

Enquanto isso, a Nova Zelândia e a Austrália têm ajudado o governo de Vanuatu a obter ajuda aos habitantes de Ambae. Os impactos imediatos da atividade atual das crateras Manaro Voui, que está gerando muita queda de cinzas, tem sido a contaminação da água potável, falhas nas lavouras, impactos na pecuária e o colapso do telhado nas casas devido ao peso das cinzas. As implicações para a saúde a longo prazo para os habitantes, em particular para a sua saúde respiratória, não serão conhecidas por algum tempo.

via NZ Defense Force (@NZDefenceForce)

Imagem via Peter Lynch / Radio Australia (@radioaustralia)

O VMGD está atualmente tendo que lidar com erupções não apenas de Manaro Voui / Ambae, mas também erupções e / ou alertas de 5 outros vulcões ao redor de Vanuatu: Ambryn (nível de alerta 2 de 5) de suas emissões de gases vulcânicos; Gaua (nível de alerta 2), que está em estado de agitação, com gás vulcânico e rajadas de vapor; Lopevi (nível de alerta 2), com baixo risco associado na ilha, devido à maioria dos habitantes anteriormente evacuados em massa em 1960, mas possíveis implicações para a aviação; Suretamatai (nível de alerta 1), com risco apenas nas imediações da cratera. Mt. Yasur, na ilha de Tanna, também tem frequentes erupções de estilo estromboliano (diárias), mas o único risco associado é para os turistas que se aproximam demais da abertura eruptiva do cume.

Pode 19, 2018


-

notícias Volcano - Arquivo Nr. 20

notícias Volcano - Arquivo Nr. 19

notícias Volcano - Arquivo Nr. 18

notícias Volcano - Arquivo Nr. 17

notícias Volcano - Arquivo Nr. 16

notícias Volcano - Arquivo Nr. 15

notícias Volcano - Arquivo Nr. 14

notícias Volcano - Arquivo Nr. 13

notícias Volcano - Arquivo Nr. 12

notícias Volcano - Arquivo Nr. 11

notícias Volcano - Arquivo Nr. 10

notícias Volcano - Arquivo Nr. 9

notícias Volcano - Arquivo Nr. 8

notícias Volcano - Arquivo Nr. 7

notícias Volcano - Arquivo Nr. 6

notícias Volcano - Arquivo Nr. 5

notícias Volcano - Arquivo Nr. 4

notícias Volcano - Arquivo Nr. 3

notícias Volcano - Arquivo Nr. 2

notícias Volcano - Arquivo Nr. 1

Entrar

Comentários

  1. Hmm é que qualquer outra pessoa está encontrando problemas com as imagens neste blog
    Carregando? Estou tentando determinar se é um problema no meu fim ou se
    É o blog. Qualquer sugestão será muito apreciada.

  2. Existe alguma ação vulcânica em torno da Cidade do México?

  3. Perfekt